268

Colóquio Uma Escola de Todos e para Todos turma Coloquio_CDR_24

Apresentação

A Escola Pública revê-se na sua missão de compromisso com o sucesso educativo de todos os seus alunos, desenvolvendo competências estruturantes que permitam ler o mundo e ter capacidade de resposta face às mutações constantes; de contribuir para a formação de cidadãos criativos, dotados de sentido crítico e capazes de exercer uma cidadania ativa. A Escola Pública é Inclusiva, pois num quadro de autonomia e de flexibilidade curricular, deve desenvolver um currículo adequado aos contextos específicos e às necessidades de todos e de cada aluno. A Escola Pública é uma Escola de Todos e para Todos, que demanda radical e contínua transformação nas abordagens de ensino e aprendizagem, que não menospreza a complexidade do sujeito que aprende, inserido em contextos sociais, econômicos, ambientais e culturais diversos. A Escola Pública deve, assim, assumir a responsabilidade de ser para todos, viver com todos e a todos proporcionar condições para a formação pessoal e social e para o sucesso escolar, promovendo a aceitação das diferenças entre os alunos, que passe pelo desenvolvimento de ações educativas flexíveis e ajustadas às suas características, reconhecendo e valorizando a diversidade. Este evento contará com um conjunto de oradores de referência, com o objetivo de dotar os participantes de ferramentas para que melhor possam ir edificando uma escola inclusiva e em transição digital, o que exige que sejam encontradas respostas que assegurem mais equidade e melhores aprendizagens.

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Objetivos

- Debater a Escola de Todos e para Todos como resposta à diversidade das necessidades e potencialidades de todos os alunos - Discutir as oportunidades e desafios colocados pelos referenciais normativos vigentes, relativamente à integração e construção de uma sociedade inter e multicultural - Refletir acerca do desenvolvimento de projetos de natureza multidisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar, tendo em conta a diversidade dos alunos e seus contextos, considerando e integrando práticas de ensino-aprendizagem-avaliação centradas no aluno; - Promover a articulação entre as práticas profissionais dos professores e a investigação educacional, através de momentos de debate/diálogo entre investigadores e professores do ensino pré-escolar, básico e secundário; - Realizar programas de formação contínua valorizando as articulações entre investigação/formação/inovação com professores das escolas.

Conteúdos

Será objeto de reflexão um conjunto de desafios colocados pela educação no Séc. XXI. Para a sua dinamização, foram convidadas diversas figuras nacionais com destaque nas respetivas áreas. Deste painel constarão os seguintes oradores/temas: Dia 5 de setembro, manhã (4 horas): (09:00) Abertura (9:30) João Costa, Presidente do Comité de Políticas Educativas da OCDE (11:00) Luís Santos; Paula Simões - IAVE – Leitura e análise da informação do RIPA e REPA (12:00) Nádia Ferreira (Escola de Educação do ISPA - Instituto Universitário) Dia 5 de setembro, tarde (3,5 horas): (14:30) Mente Cultural, Reflexividade e Transformação Social - Maria José Casanova (UMinho) (15:30) Fausto Caels (Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Politécnico de Leiria) - Alunos de PLNM e a aprendizagem do português como língua de escolarização (17:00) Eusébio André Machado (Universidade Portucalense; DGE) Pode a educação ser inclusiva se a avaliação não for formativa? Notas para uma política de equidade. Dia 6 de setembro, Workshops: a, m) “Avaliação Pedagógica com Recursos Digitais” (Sónia Alves, Equipa Regional do Centro/AFC) b) Robótica e Matemática: Robô desenhador em tarefas de Geometria no plano- (Lucas CCTIC Viseu) c) Boas práticas do PADDE - partilhar para motivar e inovar: "Vamos contar histórias...com Scratchjr" – Marlene Fernandes, Cidália Teixeira d) Ambientes inclusivos e inovadores - partilha de práticas Margarida Morgado e Tânia Aparas e) Ser igual e diferente: os cenários pedagógicos e as dinâmicas curriculares transversais - Ana Filipa f) Mãos na massa... ops, mãos na matemática - Florbela Soutinho g, h) Aprendizagem Cooperativa: Um modelo Pedagógico transformador - Sónia Moreira – Escola Superior de Educação Porto - (2 turmas, manhã e tarde) i) DUA - Desenho Universal para a Aprendizagem: medidas universais orientadas para todos os alunos - Paula Teixeira (DUA) (1 turma com manhã e tarde) j) O Digital na escola – e-ferramentas, e-avaliação - Susana Senos k) Práticas interdisciplinares em projetos CTEAM - Cecília Guerra l) Educar para e na cidadania, um imperativo da Escola - Ana Baila Antunes

Metodologias

Dia 5 de setembro no Centro Municipal de Cultura de Castro Daire 9:00 - Abertura 9:30 - Políticas educativas na OCDE - João Costa (Presidente do Comité de Políticas Educativas da OCDE) 11:00 - Um olhar sobre os resultados da avaliação externa: o contributo da avaliação para a equidade na educação - Luís Santos; Paula Simões - (IAVE) 12:00 - Inovação Educativa e Pedagógica como resposta aos desafios de uma escola para todos - Nádia Ferreira (Escola de Educação do ISPA - Instituto Universitário) 14:30 - Mente Cultural, Reflexividade e Transformação Social - Maria José Casanova (UMinho) 15:30 - Alunos de PLNM e a aprendizagem do português como língua de escolarização - Fausto Caels (Escola Superior de Educação e Ciências Sociais do Politécnico de Leiria) 17:00 - Pode a educação ser inclusiva se a avaliação não for formativa? Notas para uma política de equidade - Eusébio André Machado - (DGE, Universidade Portucalense) Dia 6 de setembro na Escola Secundária de Castro Daire 09:30 - 12:30 k) Práticas interdisciplinares em projetos CTEAM - Cecília Guerra (FCUP) b) Robótica e Matemática: Robô desenhador em tarefas de Geometria no plano - António Lucas - (CCTIC, ESEV, Viseu) c) Boas práticas do PADDE - partilhar para motivar e inovar: "Vamos contar histórias...com Scratchjr" Marlene Fernandes (AEOF), Cidália Teixeira - (ED) g) Aprendizagem Cooperativa: Um modelo Pedagógico transformador - Sónia Moreira (Escola Superior de Educação Porto) - Turma 1 i) DUA - Desenho Universal para a Aprendizagem: medidas universais orientadas para todos os alunos – Parte 1 - Paula Teixeira - (AEEN Viseu) d) Ambientes inclusivos e inovadores - partilha de práticas - Margarida Morgado/Tânia Aparas - (AE Viriato/AEOF) a) Avaliação Pedagógica com Recursos Digitais T1 - Sónia Alves - (CFAE CI) 14:00 - 17:00 f) Mãos na massa... ops, mãos na matemática - Florbela Soutinho - (CFAE Viseu) i) DUA - Desenho Universal para a Aprendizagem: medidas universais orientadas para todos os alunos – Parte 2 - Paula Teixeira - (AEEN Viseu) h) Aprendizagem Cooperativa: Um modelo Pedagógico transformador - Sónia Moreira (Escola Superior de Educação Porto) - Turma 2 j) Cidadania Digital em ação - Susana Senos - (CCTIC UAveiro) l) Educar para e na cidadania, um imperativo da Escola - Ana Baila Antunes- (AETCF, Tondela) e) Ser igual e diferente: os cenários pedagógicos e as dinâmicas curriculares transversais - Ana Filipa - (AEE Aveiro) m) Avaliação Pedagógica com Recursos Digitais T2 - Sónia Alves - (CFAE CI) n) Erasmus, uma oportunidade para todos. Disseminar para motivar – Cidália Teixeira

Avaliação

a) Na avaliação quantitativa será utilizada a escala de 1 a 10 valores. b) Critérios e respetiva ponderação na avaliação Participação; Realização das tarefas nas sessões (40%). - Iniciativa e autonomia. - Clareza e pertinência das intervenções. - Empenho na realização das tarefas propostas nos workshops. Reflexão crítica (60%). - Elaboração de uma reflexão crítica acerca dos temas tratados que inclua uma apreciação: - Aos conteúdos abordados no programa de formação; - Quanto aos potenciais impactos do programa de formação, no seu desempenho profissional; - Quanto à transposição dos conteúdos abordados para os contextos de prática profissional (podendo apresentar exemplos concretos que considere que podem contribuir para diversificar das práticas): - Quanto à importância das estratégias formativas implementadas (sessões plenárias, debate/discussão) para a sua formação pessoal e profissional.

Modelo

Formulário Online Relatório Formadora

Bibliografia

Caels, F. & Alexandre, M. F. (2013) Alunos de PLNM a aprendizagem de conteúdos escolares. In: Mateus, M. H. M. & Solla, L. (coord.). O Ensino do Português como Língua Não Materna: Estratégias, Materiais e Formação. Lisboa: ILTEC / Fundação Calouste Gulbenkian. Pp. 107-59 Cosme, A., Lima, L, Ferreira, D e Ferreira, N. (2021). Metodologias, Métodos e Situações de Aprendizagem: Propostas e Estratégias de Ação - Ensino Básico e Ensino Secundário. Porto: Porto Editora Costa, J. e Couvaneiro, J. (2019). Conhecimentos Vs. Competências: Uma dicotomia disparatada na educação. Lisboa: Editora Guerra & Paz Machado, E.A. (2020). Sentidos da Escola, Sentidos da Avaliação. Lisboa: LisbonPress Martins, O. (coord.) (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. Lisboa: Ministério da Educação Nóvoa. A (2022). Escolas e Professores: Proteger, Transformar, Valorizar. Colaboração de Iara Alvim. Salvador: Empresa Gráfica do Estado da Bahia – EGBA Rodrigues, D. (2013) Equidade e Educação Inclusiva. Lisboa: Profedições, Rodrigues, D. (2013) Os Direitos Humanos e a Educação Inclusiva, in O Público, 3 Janeiro. In https://www.publico.pt/2014/01/03/sociedade/opiniao/os-direitos-humanos-e-a-educacao-inclusiva-1618165 Roldão, M. C. (2005). Para um currículo do pensar e do agir: as competências enquanto referencial de ensino e aprendizagem. In Suplemento En direct de l’ APPF, pp. 9-20 Roldão, M. C. (2019). Quem Lidera o Ensino e a Aprendizagem nas Escolas? Um estudo de caso múltiplo sobre lideranças pedagógicas. Lisboa: Fundação Manuel Leão

Observações

Cronograma: Dia 5 de setembro de 2024 - Auditório do Centro Municipal de Cultura de Castro Daire Dia 6 de setembro - Escola Secundária de Castro Daire No dia 6 de setembro, cada formando terá que escolher um dos workshops para a parte da manhã (ver programa) e outro para a parte da tarde, com exceção do Workshop "DUA" que tem uma sessão de manhã e outra de tarde que se complementam

Cronograma: Dia 5 de setembro de 2024 - Auditório do Centro Municipal de Cultura de Castro Daire Dia 6 de setembro - Escola Secundária de Castro Daire No dia 6 de setembro, cada formando terá que escolher um dos workshops para a parte da manhã (ver programa) e outro para a parte da tarde, com exceção do Workshop "DUA" que tem uma sessão de manhã e outra de tarde que se complementam.

Formador

Olga Maria Coutinho de Oliveira Madanelo

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 05-09-2024 (Quinta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
2 05-09-2024 (Quinta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
3 06-09-2024 (Sexta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
4 06-09-2024 (Sexta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial
Início: 05-09-2024
Fim: 06-09-2024
Acreditação: CCPFC/ACC-127278/24
Modalidade: Colóquio
Pessoal: Docente
Regime: Presencial
Duração: 14 h
Local: Castro Daire

INSCREVER-ME